Zeebo

O Console
A empresa brasileira Tectoy apresentou nesta quarta-feira o seu videogame Zeebo, que está previsto chegar às prateleiras do país em julho de 2009. Ele será produzido na fábrica da Tectoy em Manaus. Em seguida, será oferecido para licenciamento em outros países, sobretudo nos mercados emergentes. "O Zeebo é voltado para a classe média, que entende de consoles de última geração que, para eles, ainda são inacessíveis", afirmou o diretor-presidente da Tec Toy, Fernando Fischer.

A plataforma aposta no fim da mídia física: todos seus jogos são armazenados na memória do console e disponibilizados a partir de downloads feitos pela rede ZeeboNet3G. Segundo a TecToy, que fechou parceria com a Claro para disponibilizar a rede 3G somente para dados, o usuário sempre estará conectado a rede wireless e não pagará nada por isso.

Os custos serão a compra do console, pelo preço divulgado hoje de R$ 599, e dos jogos, que vão variar entre R$ 10 e R$ 30, dependendo se for catálogo ou lançamento. Deste modo, a companhia espera evitar a pirataria, já que os jogos originais, em tese, não poderão ser gravados ou transferidos para outros equipamentos ou mídias.

Desenvolvimento

O desenvolvimento do novo console é uma parceria com 12 empresas no mundo, sendo que a principal delas é a norte-americana Qualcomm, que detém 43% da Tectoy nos Estados Unidos e passará a se chamar Zeebo Inc. --os outros 57% pertencem ao grupo brasileiro. Segundo Fischer, o Zeebo já consumiu cerca de R$ 17 milhões em investimentos, sendo R$ 5 milhões de capital próprio da Tectoy brasileira e outros R$ 12 milhões da Qualcomm.
De acordo com a empresa, o nome Zeebo foi escolhido entre 70 opções e por não existir registro da marca em outros países. "É uma marca que não significa absolutamente nada em lugar nenhum", disse o diretor-presidente da empresa.
Games

No Brasil, o Zeebo será lançado com seis jogos instalados --dois jogos da EA (Eletronic Arts) (corrida e futebol), Action Hero 3D, Treino Cerebral, Prey Evil e Quake, todos em português. Além desses títulos, o catálogo inicial do Zeebo conta com mais de dez jogos, todos desenvolvidos para essa plataforma.

Até o fim de 2009 a previsão da Tectoy é que a quantidade de títulos chega a 51 jogos. A empresa conta com a parceria de grandes empresas desenvolvedoras de games no mundo, como a EA, Namco, Capcom, Sega, Activision e ID. Está previsto também para o ano que vem o lançamento do "Acelerômetro", acessório parecido com o Wii Remote, da Nintendo.

Qualidade

O jogo utilizado pela Tectoy na apresentação de hoje foi o Quake, lançado na década passada. Os gráficos e a forma de jogar não impressionam e sequer chegam próximo aos últimos lançamentos no mercado mundial de games.

Por isso mesmo, o diretor-presidente da Tectoy se apressou em reafirmar que o Zeebo não é voltado para os "gamers" de última geração, mas para a classe média que não tem acesso aos consoles de marcas como Sony, Nintendo ou Microsoft. "O Quake é um jogo antigo para nós, mas novo para o nosso público alvo", disse um dos desenvolvedores da empresa.
Segundo a Tec Toy, a parte de visualização gráfica do game chegará "bem próximo" ao que existe hoje no PS2. Questionado sobre o preço do Zeebo, Fischer tergiversou, dizendo que a empresa irá apelar para a comunicação, distribuição e legalização dos produtos com a sua marca no país.
-